Vantagens e desvantagens de agrupar os alunos na sala de aula bilíngue

O que significa o Saint Patrick’s Day (Dia de Saint Patrick)
17 de março de 2018
Você sabe o que é celebrado no dia da Páscoa?
28 de março de 2018

Vários estudos recentes na área de educação de idiomas têm discutido e enfatizado a importância da interação dos alunos entre si e com o professor como estratégia fundamental para o aprendizado de uma segunda língua. É preciso oferecer oportunidades para os aprendizes praticarem o idioma em diversos contextos significativos e uma técnica bastante utilizada pelos professores é o agrupamento dos alunos durante as atividades no segundo idioma. As formas mais comuns são whole-class teaching, individual work, pair work e group work. Conheça um pouco sobre as características de cada alternativa e descubra algumas vantagens e desvantagens.

Whole-Class Teaching

A principal característica desse modelo é o professor que fica na frente da sala de aula instruindo os alunos e entregando conteúdo. Pesquisas na área de educação sugerem que esse é o método mais utilizado em todo o mundo e revelam que cerca de 70% do tempo é ocupado pelo professor falando. A maior vantagem do whole-class teaching é permitir que o educador atinja um grande número de alunos simultaneamente. Essa forma de trabalho também faz com que todos os alunos se sintam nivelados, uma vez que a instrução é entregue a todos os alunos da mesma maneira. Ou seja, tanto os alunos mais avançados quanto os menos avançados recebem o mesmo tratamento, criando um ambiente de igualdade onde todos se sentem pertencentes e confortáveis. As desvantagens desse método incluem: a instrução é dominada pelo professor e há poucas oportunidades para a participação ativa dos alunos; a suposição de que todos os aprendizes se desenvolvem e progridem no mesmo ritmo; e a premissa de que um modelo de instrução serve para todos.

Individual Work

Essa maneira de trabalhar também é chamada pelos especialistas de “seat work”, e é a segunda forma mais frequentemente utilizada nas escolas pelo mundo afora. Individual work é caracterizado por atividades em que os alunos trabalham sozinhos em seus lugares e não há interação alguma entre eles. As vantagens desse método incluem desde a possibilidade de cada aprendiz progredir e trabalhar no seu próprio ritmo, até a oportunidade do professor individualizar as atividades designadas para o aluno, por exemplo, customizando as tarefas de acordo com as necessidades, habilidades, preferências e ritmo de cada um. Por outro lado, o individual work, além de não possibilitar interações na sala de aula, ainda torna difícil a tarefa do professor de monitorar e auxiliar os aprendizes durante a execução das atividades. Além disso, os alunos podem terminar seus afazeres em momentos diferentes, podendo causar um problema de gerenciamento de sala de aula caso o professor não tenha se planejado para isso.

Pair Work

Apesar da importância dos dois métodos mencionados anteriormente – o whole-class teaching e o individual work -, ambos oferecem oportunidades limitadas para que haja interações na sala de aula. Para a aprendizagem de um segundo idioma, o indicado é que os alunos sejam incentivados a usar a nova língua entre si e com o professor de diversas maneiras diferentes em contextos variados. Pesquisas na área de educação bilíngue indicam que sem o uso consistente do segundo idioma os aprendizes perdem oportunidades importantes para desenvolver competências linguísticas e comunicativas. Ao agrupar os alunos em duplas ou grupos pequenos, o professor maximiza as oportunidades para que haja input e output do segundo idioma em níveis compreensíveis. Para maximizar as chances de sucesso do pair work, é importante considerar quatro aspectos: a fluidez de informação (information flow), o foco no produto final (product focus), a escolha dos indivíduos que irão compôr a dupla (choice of partner), e o papel a ser desempenhado por cada membro da dupla (roles of partners). O primeiro, information flow, sugere que cada membro da dupla disponha de informações diferentes sobre um assunto para que possam compartilhá-las na busca da solução de um problema ou para completar uma tarefa. Atividades desenvolvidas dessa forma são chamadas de two-way task. O segundo, product focus, considera que uma atividade que envolva negociação e interação que resulte em um produto é mais motivante para os alunos. Portanto, foco no resultado final é importante. O terceiro, choice of partner, considera as características dos membros da dupla de acordo com as suas habilidades linguísticas no segundo idioma. O professor deve ter critérios consistentes para definir as duplas a serem formadas. Por exemplo, ele deve levar em consideração as razões pelas quais irá agrupar aprendizes com o mesmo nível ou de níveis diferentes. O quarto, roles of partners, discute qual papel cada membro da dupla terá na execução de cada tarefa. O professor pode determinar que ambos os membros da dupla tenham a mesma responsabilidade e autonomia durante uma atividade, ou pode sugerir que um eles possuam responsabilidades específicas.

Group Work

A organização dos alunos em grupos nas salas de aula bilíngues é outro recurso bastante utilizado para mediar a aprendizagem de um segundo idioma. As vantagens incluem todas as mencionadas acima (pair work) e mais algumas, por exemplo: atividades em grupo descentralizam a aula da figura do professor, aumentam a participação dos alunos na aula, oferecem mais oportunidades para que os alunos se comuniquem uns com outros, favorecendo a prática do segundo idioma, promove colaboração, permite que o professor assuma mais o papel de facilitador e, finalmente, permite que os alunos tenham mais autonomia e independência no processo de aprendizagem da língua. Três aspectos devem ser considerados ao empregar o group work na sala de aula: o tamanho dos grupos (group size), o propósito da atividade (purpose), e os papéis a serem desempenhados pelos membros do grupo (roles). O primeiro, group size, consiste em definir um número ideal de alunos por grupo dependendo da atividade a ser executada. A comunicação entre os alunos pode ser afetada dependendo do número de participantes nos grupos. O segundo, purpose, diz respeito ao propósito da atividade em grupo. Para que a atividade em grupo seja uma oportunidade produtiva para os alunos o professor deve ter em mente o objetivo da tarefa, os procedimentos, e um período de tempo adequado para que ela seja cumprida. A terceira, roles, se refere aos papéis a serem desempenhados por cada um dos membros do grupo. O professor pode definir os papéis ou pode deixar que os alunos escolham e se organizem, dependendo da tarefa e dos objetivos. É importante, por exemplo, determinar quem será o líder, quem gerenciará os materiais, quem será o mediador, quem fará as anotações importantes, e assim por diante.

As dinâmicas estabelecidas na sala de aula bilíngue são resultado da interação entre o professor e os alunos e entre os alunos em si. O professor que está consciente das diferentes estratégias e que considera as vantagens e desvantagens de cada modelo aumenta as chances de sucesso dos alunos no processo de aprendizagem do segundo idioma. Experimente as variações e nos conte depois a sua experiência! Compartilhe com outros profissionais!

Fonte: Reflective Teaching in Second Language Classrooms (Richards, J. & Lockhart, C., 1996)

http://sproutly.com.br/2016/09/22/vantagens-e-desvantagens-de-agrupar-os-alunos-na-sala-de-aula-bilingue/

//]]>